Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

04
Abr18

Tenho saudades de estar apaixonada (e ser correspondida)

Já nem sei como é enroscar os meus pés gelados em alguém pela manhã.

 

Escolher tomar banho em conjunto mesmo que isso implique ficar a arrefecer, cheia de espuma, à espera que ele saia debaixo de água.

Beliscar-lhe o rabo para sair.

Rirmos.

Acabarmos na cama.

Atrasar-me para o trabalho.

 

Oh que bom que era, acho eu, já nem me lembro bem....

Discutir porque deixou as meias e boxers espalhados pela casa e continuar aos gritos e a tentar manter a postura de durona enquanto ele me imita e me destrói, por saber que me consegue fazer rir.

 

Tenho saudades de que alguém por amor, só mesmo por amor, coma o meu bacalhau espiritual que mais parece farófias e mesmo assim diga que está óptimo porque sabe que cozinhar é uma coisa que não gosto, e que foi um custo fazer aquilo.

 

Oferecer-se para ir buscar comida chinesa...

 

Tenho saudades de vestir um saco de batatas e um vestido de gala e ouvir sempre a mesma resposta, apesar de saber que estou bastante melhor com o vestido.

Irritar-me porque ele não sabe dar uma opinião valida sobre o que me fica bem ou não.

Ouvir que se for sincero vou ficar chateada.

Pois fico, chateada, mimada, possessiva, tanta coisa tão boa e tão má.

 

Dias de praia enrolados na areia feitos croquetes de amor e esquecer que existe tempo, que existem mais pessoas no mundo, eventualmente, naquela praia.

Tenho saudades de comprar roupa para "ele" e me orgulhar de o ver com aquilo que escolhi.

Tenho saudades de andar a cheirar a perfume de homem.

 

De ler uma mensagem que diz "amo-te".

De dizer "amo-te".

De dar a mão por debaixo da mesa do restaurante.

De dar apalpões nos elevadores com outras pessoas lá dentro.

De coreografias inventadas na sala.

De viagens de carro que mais parecem um casting de Ídolos.

De ver filmes em conchinha e adormecer apesar de ter sido eu a escolher o filme.

De demorar horas a escolher o filme e vencê-lo pelo cansaço.

 

Tenho saudades "dele".

Tenho saudades de mim.

 

6 comentários

Comentar post