Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

04
Out16

Sem ti metade de mim não existe

Não poder falar contigo mata-me.

 

Perco capacidades, fico desumana, desorientada, triste.

Tenho tantas conversas acumuladas para ter contigo que não posso ter com mais ninguém.

 

Sinto-me como uma flor a morrer, sem ti, o sol da minha vida.

Tem tanto de poético como de dramático....

 

Quando estou contigo sou eu no meu expoente máximo e sei que tu também.

Tenho uma mágoa tão grande por não poder fazer-me gostar de ti.

Tento pensar como seria, mas para mim há muito que deixaste de ser um homem.

Não consigo olhar para ti e ver um homem.

 

Não imaginas as vezes que escrevo e apago mensagens para ti.

Sei que não posso, que não devo.

Vou desaparecer como prometi.

Vou ajudar-te a esquecer-me.

Por mais que me custe, és tu quem está certo.

 

Precisas de alguém que te dê tudo aquilo que mereces e não que te sugue emocionalmente como eu faço.

Precisas de alguém que não seja o teu vicio.

Precisas de alguém que te ame na mesma moeda e que te faça feliz.

Precisas de tranquilidade e não de ânsia.

Precisas de um amor não de uma amizade.

 

Peço todos os dias ao universo para me fazer apaixonar por ti, ainda que de longe.

Anseio o dia em que, sem nenhuma razão, mesmo que seja daqui a muitos anos, eu te procure para te dizer que te amo.

Acredito que um dia me vou apaixonar por ti.

Afinal de contas, é a única coisa que nos separa.

O sentimento que temos um pelo outro.