Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

Pedi ao tempo (poema)

peço ao tempo que pare um momento

para poder pensar sobre mim

e o tempo responde-me

que o tempo é um bem nobre

não se pode desperdiçar assim

 

peço ao tempo que acelere

não perca tempo nem espere

pelo que vem a seguir

e o tempo responde-me

que o tempo não tem alento

só perde tempo, no tempo certo

e quando corre, não é para fugir

 

peço ao tempo que volte atrás

para fazer bem o que fiz de errado

e o tempo responde-me

que não há nada que o tempo não cure

não há mal que sempre perdure

nem bem que seja ilimitado.

 

Podenga

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.