Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

Não sei como te esquecer (poema)

Não há como resistir a certas pessoas

Eu pelo menos não sei 

Tampouco o tentei

Com medo de conseguir...

 

Não sei como dizer que não se quer

Quando se tem ali uma mulher

Disposta a dar o corpo e a alma

Terá de haver uma grande tara

Por outra espécie de sedução...

 

Não sei como não falar contigo o dia inteiro

Sobreviver num anseio

De ter o teu carinho por palavras

Já que antes mo davas

Mas de repente acabou...

 

Não sei como dormir e levantar

Sem a noite passar

Agarradinha a ti

Pouco a pouco eu descobri

Que não é falta de verdade

Não há maior honestidade

Do que não se fazer o que não se quer...

 

Não sei como desistir de ti

Aquele por quem sempre vivi

Na esperança de ter para sempre

E agora que te vou perdendo aos poucos

Junto-me também eu aos loucos

Que amaram intensamente.

 

By:Podenga

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.