Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

Namorar com um preto (que não mulato de olhos verdes) parece crime

Há relacionamentos que acho que só funcionam longe do meu quotidiano, sem necessidade de aprovação e aceitação por parte dos meus amigos e familiares.

 

Reencontrei uma paixão de faculdade com quem nunca consegui assumir nada por uma razão: não sei lidar com o preconceito!

 

Além da pessoa em questão ser de pele muito escura, não é bonito. Não pelo menos na proporção que eu sou bonita (isto é ridiculo eu sei).

O problema é que eu não vejo essa "feieza" ou pelo menos nunca foi relevante para mim.

Alias, acho que nunca senti tanta atracção por um homem...

A nossa tensão sexual sente-se a milhas.

 

No entanto, sempre que vamos a algum espaço publico toda a gente pára para olhar para nós.

Pretos, brancos, qualquer tonalidade e raça...

Olham a um nível que me sinto mesmo incomodada.

Ele nunca comentou nada disso comigo, nem sei se tem a mesma percepção.

 

Pior é que eu não me sinto à vontade para fazer coisas com ele (em Portugal) porque sinto sempre que toda a gente vai estar a julgar.

Uma vez estávamos a passear num shopping os dois de mão dada.

Um senhor parou chocado a olhar e disse "que pouca vergonha".

Parecia um episódio do "E se fosse consigo?".

 

Há alturas em que eu própria o coloco à parte tentando-o esconder dos olhares alheios e ele sente isso.

Por isso ele se afastou de mim todos estes anos, e por isso eu acho que nunca lhe propus tentarmos.

 

Não consigo viver com comentários como:

"conseguias melhor"

"tu és tão linda" 

"como é que consegues?"

"o que vês nele?"

"só gostas de pretos"

"ele não tem nada a ver contigo"

"ainda que fosse clarinho" (esta então mata-me)

 

Pior é que sempre que alguém me diz isto na cara gera discussão pois não suporto este tipo de observações como se ele não tivesse ao meu nível porque não é bonito, ou porque é preto, quando temos tanta coisa em comum, quando nos entendemos tão bem e temos uma cumplicidade brutal.

 

A semana passada ele passou uma noite na minha casa.

Era dia de semana então iríamos sair à mesma hora de casa, eu para o meu carro e ele para o dele.

Só de pensar que iria descer para a rua com ele havendo a hipótese de me encontrar com algum vizinho, despedir-me dele com um beijo e toda a gente comentar inventei uma desculpa para ele ir sem mim.

 

Senti-me pessimamente quando ele foi embora sozinho. Senti que o estava a trair.

 

Não posso continuar a fazer-lhe isto porque eu própria estou a a julgá-lo.

Não sei como lidar com esta pressão social que me faz crer que estou a cometer um crime.

Como se o amor tivesse de fazer algum sentido...

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Podenga 17.02.2021

    Oi Lili, obrigado por partilhares! Só o facto de estarmos aqui a expor o que sentimos e a falarmos da nossa experiência acredito que ajude outras pessoas que estejam a passar pelo mesmo a entenderem que não tem mal amar alguém de uma cor\cultura diferente. Se nós escolhessemos quem gostamos obviamente optariamos por um caminho fácil e que não trouxesse tanta "guerra", não é? Estão a aceitar bem o teu relacionamento?
  • Sem imagem de perfil

    Sara Miguel 20.02.2021

    Olá chamo-me Sara tenho 31 anos e achei este tópico interessante, gostaria de perguntar algumas questões a quem aqui deixou seu testemunho em especial na casa dos 20-30. Sou de uma cidade pequena onde não há pessoas de cor, quando fui estudar em 2008 para a Lisboa e vi o 1 casal interracial fiquei de boca aberta, não levem a mal. Em 8 anos, estudar, trabalhar, transportes, saídas a noite não devo ter visto mais de 25 casais interraciais. Sou bem casada com 1 português, mas sei se me apaixonasse por 1 africano, ia ser uma guerra com família inteira e até amigas. Tive 2 amigas minhas do trabalho que namoraram africanos, mas agora são casadas com brancos e até já são mães. É possível uma rapaz/ rapariga tuga sentir atraído tanto por brancos/africanos? Gostaria de perguntar se têm noção de percentagem de casais interraciais na região metropolitana de Lisboa? Secalhar 1 rapaz tuga por cada 120 namora, e nas raparigas 1 em cada 40. Não sou especialista em geografia, mas parece a sensação, e em 3 milhões de pessoas são se calhar uns 5.000 -7000 casais.
    Gostaria de perguntar a Lígia que tens 22 anos se amigas tuas, namoram com negros e terminaram por pressão, ou se tens amigas/os que namoraram pessoas de cor e actualmente estão com portugueses típicos.
    Acreditoo que a sociedade portuguesa ainda é muito racista mesmo em Lisboa, recordo-me de ouvir comentários bastantes depreciativos tanto de rapazes e raparigas na casa dos 20 anos, em que era impossível namorar pessoas africanas. Cá está deve ser questões de gosto/ preferência, se perguntarem em inquéritos na faixa etária entre 20-35 anos nos rapazes em 100, 97 só querem namorar brancas e nas mulheres 92 só querem namorar com brancos. Já há 4 anos que não vou a Lisboa portanto não tenho percepção do actual. Peço desculpa pelo longo discurso, mas interessa-me por assuntos sociológico, em que a sociedade portuguesa têm problemas, e este é um grande, quantas centenas senão alguns milhares quiseram namorar ou namoraram, mas não aguentaram pressão da sociedade.
  • Imagem de perfil

    Podenga 07.04.2021

    Obrigado pela partilha Sara! Aqui em Lisboa como existe uma grande comunidade negra, muitos deles portugueses que já nasceram cá, é natural que os números de casais interraciais sejam maiores. Aquilo que sinto que tem vindo a mudar é que, por exemplo, normalmente pessoas negras pelo menos há 15 anos atrás quando tive este relacionamento eram conotadas como criminosas ou chungas entendes? Este rapaz por exemplo, nós eramos colegas de escola, eu uma betinha, ele vestia roupa xxl, usava boné etc, aquele estilo americano que se costuma ver nos filmes. Tinha mais dinheiro que eu, mas porque tinha este estilo e tom de pele, sempre que as pessoas o viam na rua olhavam com olhar depreciativo, como se ele fosse um bandido. Hoje em dia ele tem outro estilo, usa camisa e pelo trabalho dele, muitas vezes até fato. Quando saímos, já não noto olhares depreciativos, pelo contrário. Porquê? Porque pelo aspeto dele as pessoas acham que ele tem dinheiro (muito devido aos angolanos que vieram para Portugal com muito poder económico). Então isto para dizer que, o racismo existe mas acho que o estigma de "ser preto pobre e bandido" já não há tanto. Devido aos angolanos que vieram para Lisboa há muitos anos atrás e gastaram, e ainda gastam, muito dinheiro aqui, fez as pessoas associarem a cor de pele a dinheiro e isso fez atenuar o trato a pessoas negras. Na minha opinião, tanto é racismo para o bom como para o mau, mas acho que no final do dia, se os pais virem que que o rapaz negro é alguém trabalhador, honesto e que trata bem a filha, talvez a cor da pele importe menos. E precisamente por haverem mais casais interraciais, vai-se tornando cada vez mais natural.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.