Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

08
Mar18

Mulheres - O drama de escolher roupa

 

Eu lembro-me que algures durante o meu crescimento eu era daquelas miúdas que escolhia a roupa no dia anterior para levar para a escola.

Deixava tudo lindo e arrumadinho na cadeira do quarto para depois de manhã não perder tempo a escolher\conjugar o que queria vestir.

Até escolhia acessórios e tudo.

 

Fico a pensar onde se perdeu essa pessoa??

É que parece que acordo todos os dias de manhã, qual filme de ficção cientifica, com um reset cerebral sobre todas as roupas, sapatos e acessórios que possuo!

E no que resulta esta amnésia matinal?

 

Numa feira da ladra no meio quarto, qual furacão asiático!

 

E para achar tops básicos que eu juro que tenho, mas não acho?

Começo mesmo a duvidar se não os perdi, se mos roubaram, se até nem nunca os comprei vejam bem a paranóia!

 

Até hoje não sei o que fiz à colecção de tops brancos e pretos de algodão que comprei na Primark!

 

É que até compro logo em quantidade, mas por alguma razão miraculosa eles....puff desaparecem do meu guarda fato.

 

E aqueles pares de cuecas rendadas e sexys que só usamos de vez em quando e com as quais nos cruzamos durante dias seguidos e quando as queremos usar.....onde estão?????

 

E aquele par de brincos que juramos estar na mala dos acessórios e de repente estão lá TODOS os acessórios que comprámos desde a 4ª classe, mas AQUELES ESPECÍFICOS que ficavam mesmo UAU com esta roupa simplesmente....EVAPORARAM....

 

São normalmente os mesmos que encontro mais tarde no saco do aspirador...

 

Portanto, resumindo.....diria que se Murphy fosse mulher teria feito todo um estudo sobre a sua teoria para escolha de outfits.

 

Que flagelo!

E depois desarrumo as gavetas todas (aquelas que arrumei numa inspiração divina no fim-de-semana) e mesmo assim vou revoltada e a sentir-me mal com aquilo que escolhi.

 

Há dias que não preciso de escolher nada e acordo com o cabelo lindo e maravilhoso, com a barriga seca e a sentir-me a Beyoncé.

Qualquer trapinho me fica bem e até são nesses dias que opto por ir o mais casual possível porque....estou no céu.

Agora quando uma pessoa precisa mesmo de se arranjar, e de preferência no ano em que começou o dia, parece que não acho nada, estou gorda, estou sem cabelo, estou sem pestanas....

 

E esta análise aplica-se a quando não estou menstruada porque então podia escrever toda uma Bíblia sobre a barriga de 3 meses com que fico e com a desregulação total e inoportuna dos meus intestinos durante aqueles 4\5 dias do Demo!

 

Uff, mas é tão bom ser mulher....na verdade não sei se é bom, mas tendo em conta que a outra opção seria ser homem....acho que sim.