Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

03
Mai17

Mãe (i)

Mãe

Vejo-te preocupada

Não tens nada

Que temer

Agora que eu cheguei

Irei preencher

A tua vida

De uma maneira desprovida

De qualquer teoria já sabida

Que tenhas ouvido por aí

 

Mãe

Não penses demasiado

Eu estou aqui para ser amado

O resto vem por acréscimo

No decréscimo

Das tuas horas de sono

 

Mãe

Não gosto quando te afastas de mim

Bem sei que já nasci

Mas não me esqueço dos tempos

Que passei dentro de ti

Onde éramos só um 

Não podias ir a lado nenhum

Sem me levar também

 

Mãe

Agora que aqui estou

Só preciso que me ames

Não te acanhes

De ser mãe galinha

Não ligues à vizinha

Que diz que fico mimado

Se nascesse para ser ignorado

Nascia sozinho

 

Mãe

Não te preocupes se quando crescer

Não souber agradecer

Aquilo que fizeste por mim

A vida é mesmo assim

Um dia filho outro pai

O amor que entra é o mesmo que sai

E no fim tudo passa

 

By: Podenga