Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

Infidelidade (poema)

Ai que vontade tenho eu

que sejas de vez, só meu

e possa por fim assumir o meu erro

de querer quem não preciso

mas que me dá sempre um sorriso

depois de me fazer sofrer.

Ai que vontade que eu tenho

dar-te um beijo de todo o tamanho

à frente de quem quiser ver

nesse momento vou querer

que me agarres com força 

que me deixes louca

até que o corpo me doa

e os olhos voltem a ver.

Ai como queria 

ter-te um dia

mesmo depois de ver o que fizeste

e que podes fazer comigo também

eu sei

mas esta vontade é tão grande

que ultrapassa aquilo que antes

eu criticava e não entendia

talvez já aí sabia

que o que via

seria eu.

E em vez de aprender julguei

e agora que cá cheguei

não sei como sair.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.