Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

Ele perguntou-me porque o apaguei das redes

 

Ontem chorei, tenho andado choradeira estes dias, tenho saudades dele, aquelas coisas lamechas que toda a gente já sabe.

 

Nem de propósito e depois de ontem ter publicado o post do dever ou não apagá-lo das redes sociais hoje acordo com uma mensagem dele.

 

Há 10 dias que não me enviava uma mensagem depois de me ter deixado pendurada com um "já te digo alguma coisa", razão que me levou a exterminá-lo das redes.

 

A mensagem dizia "Apagaste-me do instagram?".

Que piada, como se não soubesse a resposta.

Pensei em não responder porque senti necessidade de me justificar.

Ao mesmo tempo dei um grito de alegria, esquecendo que o odiava há segundos atrás.

Esta migalha que ele me deu soube-me tão bem, levou-me ao céu e eu deixei-me ficar lá umas horas.

 

Mas depois desci à terra e pensei "Vamos racionalizar, não lhe vais responder?".

 

A ideia não era nunca mais lhe falar, mas sim esquecê-lo e seguir com a minha vida.

Se lhe vou falar se o encontrar na rua, não fazia sentido não lhe responder.

 

Respondi "Porque me estás a perguntar isso?".

 

E ele diz "Lembrei-me de ti e quando te fui procurar vi que estava apagado decidi perguntar. Apagaste? Ou estás chateada com alguma coisa?"

 

E foi nesse momento que passaram pela minha cabeça tantas coisas pouco agradáveis para lhe dizer.

 

"Ainda perguntas?"

"Deves estar a gozar"

"Acho que me conheces minimamente para saber o porque de te ter apagado"

"Morre"

"Apaga o meu numero e não me chateies mais"

"Vai a merda"

 

Mas depois pensei.

Não....eu não estou ressabiada, isto não é um capricho, isto não é um amuo.

Estou triste porque ele não me trata como eu quero que me trate, porque ele não me procura, porque não faz o esforço para estar comigo.

Decidi que iria dizer-lhe a verdade, e ele que decida o que fazer com ela.

Mas...como dizer-lhe isto sem parecer super apaixonada?

 

No final o que me saiu foi isto:

 

"Sim, apaguei-te. Não estou chateada contigo. Estava a exigir-te atenção e a sentir que não era correspondida. Por essa razão decidi sair de cena. Apagar-te ajuda a não me lembrar de ti"

 

E como diz a outra "The truth will set you free, but first it will piss you off".

 

Ele não respondeu até então.

 

Estou neste momento com uma bola de cimento no estômago, com uma lágrima no canto do olho e a tremer de nervos.

Fiz a coisa certa e se ele quiser, ele fará alguma coisa.

 

Claro que se ele não responder mais vou agarrar-me à almofada e chorar a noite toda, mas isso já ia de qualquer forma e assim tenho a consciência tranquila que não fui mimada e que tirei do meu coração um peso.

 

Libertei-me.

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Podenga 19.07.2018 16:03

    Oh Ana, tão verdade

    "Há sempre um clique - o clique do amor próprio que chama por nós, eventualmente. "

    Tenho uma amiga minha que ela é um pouco, digamos, masculina na forma como lida com as relações e normalmente anda envolvida com mais de uma pessoa ao mesmo tempo (sem assumir compromisso nenhum).

    Quando eu lhe mostrei as mensagens que trocamos no dia em que ele me deixou pendurada ela disse-me "Ele faz contigo o que eu faço com os outros. Não quero ter trabalho nenhum para estar com eles, mas se aparecerem lá em casa até nem me importo".

    Quando ela me disse isto deu-me um abanão interno do "até nem me importo", como se eu fosse (e de certa forma, mendigando) me mostrasse dessa forma.

    Às vezes, com a partilha das nossas histórias, vemos as nossas costas nas dos outros e parece que ganhamos a verdadeira dimensão das coisas. Porque como dizes, quando estamos apaixonadas...estamos debaixo de água, não agimos nem pensamos bem.

    Fico feliz por teres partilhado a tua aqui porque infelizmente nem toda a gente mostra as suas fragilidades às vezes sinto-me uma diva depressiva, drama queen o que lhe quiserem chamar.

    Mas o importante é seguir.
    E como diz o outro "Que a gente saiba a diferença entre esperar e perder tempo".

    Beijinhos!
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.