Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

17
Mai18

E se criasse um canal do youtube?

Ontem quando andava a passear pelo youtube deparei-me com um conjunto de rapazes que supostamente são os youtubers portugueses mais reconhecidos.

Espreitei uma porção de vídeos (principalmente do Windoh) e no final pensei que poderiam perfeitamente ser episódios da minha vida, dentro de outros tópicos.

 

Ao ver os vídeos dele, cuja idade se distancia da minha, fez-me perceber que num mundo em que cada vez mais pessoas se escondem atrás dos ecrãs, a necessidade de viver a vida de outra pessoa acaba por colmatar a frustração de não a podermos viver nós próprios.

 

Obviamente, cada pessoa fala por si, mas, sentada 8h em frente a um computador, confesso que foi refrescante assistir a uns vídeos daquele "miúdo".

Senti-me um bocadinho l.

Um bocadinho viva.

 

Até então, nem sabia que este mundo existia.

Do youtube conhecia apenas vídeos didácticos, com dicas e formas de fazer coisas, nomeadamente maquilhagem, mas de facto há todo um reality show de vidas por lá espalhado.

 

Nisto, dei por mim a pensar: porque também eu não crio um canal do youtube onde retrato episódios da minha vida?

 

Não quero dizer com isto que a minha vida seja o supra-sumo da batata em termos de acontecimentos, mas o que é facto é que sempre que saio de casa acontece qualquer barbaridade.

 

Acho que todos nós pensamos um bocadinho assim, mas a verdade é que parece que vem tudo chocar comigo.

 

Ainda esta semana estava a beber uma cerveja com amigos e estava a acabar de cumprimentar um rapaz que me tinha sido apresentado quando de repente, vinda sabe-se lá de onde, apoiada apenas num pé e com o outro já esticado (qual Bruce Lee) vem uma mulher que desata à porrada ao rapaz porque dizia estar a ser traída.

 

Eu, obviamente, afastei-me para não ser presenteada com um invertido.

 

Ficámos todos perplexos a assistir aquela "peixeirada" enquanto o amigo se esforçava por resolver o conflito conjugal.

 

Depois do choque, desatamos todos a rir e eu só tive pena de não ter enfiado uma go pro na testa porque aquilo daria um bom vídeo de lançamento do canal.

Obviamente, e como tem mais graça quando partilharmos as coisas, estive a pensar em recrutar um casal de amigos para fazer parte do projecto.

 

Eles ao inicio riram-se, mas quando lhes mostrei os vídeos do Windoh e lhes expliquei que ele vivia daquilo eles já me ouviram melhor.

Ainda estamos entre ganhar coragem para começar e tentar descobrir que nome colocar, mas penso que após a conversa inicial, a ideia ficou a marinar na cabeça de todos.

 

Ontem fomos jantar e já gravámos alguns momentos hilariantes da noite.

Pelo sim e pelo não, enquanto pensamos no assunto, vamos gravando possível conteúdo para o canal.

Nunca se sabe....