Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

Às vezes não é fácil desistir de uma ideia de negócio

Ontem encontrei-me com um amigo meu que me ligou a precisar desabafar.

 

Está actualmente a trabalhar numa startup mas não vê perspectivas de crescimento do negócio, e ao contrário do que parece ver o criador, teme que a empresa feche em pouco tempo.

 

Como a startup é recente e a equipa não é muito grande ele e o dono são os grandes pilares da empresa, no entanto e apesar de ter uma opinião sobre o que melhorar não se sente à vontade para partilhar isso com ele porque segundo me contou o individuo não está muito receptivo a opiniões.

 

Apesar de não chegarmos a um consenso disse-lhe no final para ele tentar falar com o dono da startup mesmo que ele não esteja receptivo e partilhar com ele as preocupações que me tinha contado.

 

Fiquei depois a pensar naquela pessoa e na cegueira que existe quando queremos tanto que uma coisa resulte.

 

A verdade é que muitas vezes quando se cria uma ideia que se crê que irá dar frutos é muito difícil desistir dela ou até modificá-la.

 

Vemos o negócio como um bebé que parimos cujo futuro já está todo desenhado na nossa cabeça e defendemo-lo com unhas e dentes de qualquer input que coloque isso em causa.

 

Há uns anos tive uma ideia de negócio com um amigo de umas tábuas de enchidos embaladas em vácuo.

 

Na altura tínhamos um conceito muito concreto na nossa cabeça e atacámos a hotelaria julgando ter encontrado petróleo.

 

Mal preparados, fomos logo derrotados.

"Não vemos onde podemos encaixar isso no nosso hotel"

 

Andámos e andámos até que percebemos que não estávamos ainda preparados para embarcar numa aventura que é, sabemos hoje, muito mais complexa que ter uma boa ideia.

 

Não foi fácil e no meu caso como éramos dois houve um período muito difícil em que só um de nós acreditava e o impacto psicológico que é desistir de um sonho é algo que não é só imediato.

 

O criador de um negócio seja ele startup ou não por mais que lhe custe é preciso tirar o coração do da equação e pensar com a cabeça.

 

Se nos agarramos demasiado a uma ideia e não conseguimos ter a frieza do negócio para perceber que se calhar o meu produto gourmet não vai poder ser gourmet vai ser uma luta interna dolorosa.

 

Bons negócios e boa sorte se há alguém por aí nesta luta.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.