Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

Amor gratuito (poema)

Não penses que é gratuito

O sorriso fortuito que te dou

Se tão bem sabes

Que a cada volta invades

A tua carteira falida

 

Não é só vir e visitar

Usufruir e deitar

Na minha cama comigo

Há muito mais que preciso

Para te receber outra vez

 

Não quero o teu dinheiro

Não é isso que procuro e anseio

Mas sim uma preocupação tua

Com aquilo que eu posso precisar

Se o que pretendes é levar

Adiante esta relação

 

Não quero ter de dizer outra vez

Aquilo que tu vez

E finges não ver

Já estás farto de saber

Aquilo que espero de ti

E se ainda te aceito sem pressa nenhuma

Terás de por mão à tua fortuna

E começar a cuidar de mim

 

 By: Podenga

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.