Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A fugir das drogas : Estou viva!

Olá caros leitores (se é que ainda por aí estão )!

 

Hoje escrevo-vos com um misto de emoções.

Muito se passou nestes 8 meses do ano, mas nada comparado com o furacão do ano 2018 claro...

 

Vamos a resumos importantes:

  • O Rodrigo já saiu da clínica.
  • Eu mudei de trabalho (para uma posição melhor).
  • A minha família já não se preocupa comigo.

 

Tudo se parece encaminhar para a calma e serenidade.

Vou levando uns abanões de vez em quando, não vos minto.

Um dia alguém comentou aqui a dizer que nunca se deixam as drogas e eu não entendi na altura o que essa pessoa queria dizer, mas hoje entendo.

Assim que sabemos o que elas podem fazer por nós, vai existir sempre um sininho na nossa cabeça a dizer que nos podem ser úteis de vez em quando.

 

Cabe-me a mim saber calar o sininho e encontrar outros meios para chegar ao mesmo fim.

Tenho conhecido pessoas novas, evitado estar com pessoas do mundo da noite e agora com esta oportunidade profissional que me apareceu à frente, é claramente o MOMENTO de por a mão na minha vida e deixar de me sabotar.

 

Infelizmente, parece-me a mim, o Rodrigo não teve a mesma sorte.

Ainda antes de sair da clínica já me ligava a confessar estar farto de não poder fazer nada, não ter dinheiro, não ir a discotecas...

 

Ainda que nunca mencione nada de drogas, sente saudades de todo o mundo envolvente.

 

Parece-me a mim que estes 6 meses da vida dele não valeram de muito e que na primeira oportunidade que ele tiver vai voltar a revisitar o passado.

Eu, tento falar com ele e relembrar o passado sem deixar de frisar o presente.

Não tem sido fácil e muitas vezes nem tenho coragem de o interromper enquanto ele me preenche de adrenalina ao relembrar-me das nossas histórias.

Esta semana vou ganhar coragem e ter uma conversa com ele e dizer-lhe directamente o que me preocupa na nossa relação.

Não quero ter de deixar esta amizade, mas a verdade é que não vejo da parte dele vontade de construir memórias saudáveis fora de drogas, e para doente, já cá basto eu....

 

Quanto ao trabalho novo!!!

Nem acredito que isto me aconteceu depois de tantos anos sem acertar parece-me a mim que este lugar estava à minha procura.

Sinto-me com muitas ganas de fazer as coisas bem e ajudar aquela empresa a crescer!

As pessoas são todas jovens e sempre prontas a ajudar.

Sente-se muito a união do grupo e o carinho que têm uns pelos outros.

Existem pessoas com 30 anos de casa! Nunca tive disto em consultoria...

Estou muito entusiasmada e espero conseguir gerar bons resultados.

 

E o resto? Amor, familia?

Amor estou aberta sempre ao amor, mas continuo solteirinha da silva.

A minha familia está novamente numa boa relação comigo.

Passámos uma fase menos boa este verão mas logo vos contarei noutra publicação.

 

Resumindo: este 2019 vou ser eu comigo e mais eu.

Nunca pensei estar tão bem e tão ciente do que quero depois de tanta irresponsabilidade.

 

Enfim.

Espero que todos tenham tido um feliz verão.

Conto de vir aqui escrever mais regularmente.

Tenho tantas ideias sobre coisas que vos quero contar...

 

Fica para a próxima publicação!

 

Um beijinho a todos 

6 comentários

Comentar post