Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

Promessas, promessas....

Promessas, Promessas.. Essas coisas tontas Que acontecem sem ter conta Do que poderiam ter sido se fossem de verdade.   Promessas, Promessas, Quem nunca as disse ou ouviu Com ou sem conhecimento Nun (...)

Pedi ao tempo (poema)

peço ao tempo que pare um momento para poder pensar sobre mim e o tempo responde-me que o tempo é um bem nobre não se pode desperdiçar assim   peço ao tempo que acelere não perca tempo (...)

Não nos deixemos perder!!

Gosto de navegar na minha mente esquisita e aliciante, como agora mesmo estou a fazer. Apaixono-me por mim mais e outra vez. Pelo meu sorriso fácil, o meu choro contido, o meu mau feitio matinal. Quero-me tanto que não sei se encontrarei alguém suficientemente bom a quem me entregar.

O fim (poema)

  não me peçam para ser menos do que vejo no fundo desejo nem ver nem saber mas que posso eu fazer se cabem em mim todos os problemas do mundo?   no fundo não posso desejar ser menos que (...)

Dinheiro (poema)

Por dinheiro vencemos Por dinheiro cedemos Contra pompa e circunstancia Ridicularizamos Quem for preciso.   Com dinheiro somos Com dinheiro compramos Qualquer ética e moral O amor passa a (...)