Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

04
Nov16

Peço Licença Menstrual

Cá vamos nós, mais um óvulo, mais uma inspiração divina para escrever.

 

Já não sei se veja isto como um fardo se como uma bênção.

 

Mas confesso que hoje é muito mais do que menstruação o que vos trago.

Hoje é uma verdadeira campanha política a favor dos direitos das menstruadas.

 

Hoje sexta-feira, 1º dia da menstruação tenho-vos a dizer que ser mulher não só não é fácil como doí.

Doi muito.

 

Então vejam bem se isto não é uma verdadeira semana da tortura:

 

Segunda-feira: Mal acordo de manhã tenho a brilhante ideia de me pesar e vejo que, após tanto trabalho para perder 4 kg lá voltei eu até aos 65 kg. Tão revoltada que estava com a situação que até me passou que terça-feira era feriado e tinha combinado um mega jantar com as meninas para as 20:30. Para me vingar da frustração de estar gorda fui comer sushi e beber que nem um benfiquista no final do campeonato. Cheguei a casa às 08:00 da manhã com mensagens de um desconhecido no telemóvel.

 

Terça-feira: Acordo com o despertador a tocar. Ah afinal não é despertador é mesmo o alarme do aniversário da minha mãe que ao contrário de mim é uma verdadeira santa. Acordo em sobressalto, vou direita ao banho, pego nos primeiros trapos que me aparecem e toca a fazer 50 km de carro. Não sei o que se passou com Lisboa naquele dia, mas claramente que o Sol estava mais forte que o costume e ainda não tinha chegado a casa dos meus pais e parecia que já levava 2 semanas de conjuntivite (estilhaços da noite passada, das quais tinha poucas memórias). Chegando a casa dos meus pais (com 2 andares) achei por bem sentar-me de levezinho no sofá da sala enquanto se preparava a mesa do almoço de família no andar de cima. Acordo 2 horas depois e decidi encomendar uma pizza pois o almoço já tinha terminado. Depois de comer a pizza dormi um soninho, acordei, desejei parabéns à minha santa mãe e fui para casa.

 

Quarta-feira: Chegou umas jeans que mandei vir de um site de roupa que achei giro (já agora recomendo https://www.pinkboutique.co.uk ). Uau! Até que enfim uma boa noticia esta semana. Saio eu do trabalho ao final do dia, toda ansiosa, a correr para ir para casa experimentá-las e deliciar-me em frente ao espelho e qual não é o meu espanto que assim que as visto me dou conta que algures no tempo perdi o meu rabo. Literalmente não existe, está espalmado. Quer dizer, ele existir existe, está é ali algures entre o joelho e o tornozelo...

 

Quinta-feira: Inconformada com a situação do meu rabo e depois de ter visto 300 dicas de "Como ter glúteos em 3 dias" decidi inscrever-me no ginásio aqui do lado. Não amiguinhos, não é nenhuma cadeia pomposa tipo Fitness Hut e Holmes Place...é mesmo daqueles ginásios em que eu sou (praticamente) a única menina e que quem geme são os homens. Sem tempo a perder, faço a inscrição, pago o que tenho a pagar, equipo-me e subo imediatamente para a zona de cardio. Transpirada e feliz ao som de "I ain't your mama" da JLO (melhor inspiração impossível) aparece-me um braço maior que a minha anca ao meu lado a sorrir. Abrando o ritmo, retiro os headphones e ele diz-me "Então, qual vai ser seu treino hoje?". Sorri, não percebi se aquilo era algum código de guerra, mesmo assim decidi arriscar e respondi: "Glúteos".

Ele sorriu e disse: "Então quando terminar a corrida venha ter comigo". Juntei-me à trupe dos gemidos e só saí do ginásio 2 horas depois.

 

Sexta-feira: Acordo contente, dorida e motivada 1 hora antes do que o normal para preparar a minha pêra abacate para o pequeno-almoço e a minha mala de treino. Cheia de vitalidade chego ao meu emprego, ligo o portátil e num momento de reflexão penso " uff, pela primeira vez na minha semana alguma paz". Depois de almoço senti algum desconforto abdominal, mas também depois do exercício do dia anterior não dei relevância. 15:00 e já ninguém me podia aturar. O óvulo quer sair. É oficial, estou menstruada, gorda, e tenho de ir ao ginásio porque o meu glúteo está adormecido.

Para piorar tudo a minha melhor amiga quer ir para os copos amanhã. 

Há algo mais injusto do que estar menstruada, gorda e ser convidada para uma festa espectacular e ter de dizer que não?

 

Peço licença menstrual por favor.

Não me aguento.