Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

06
Jul17

Os adolescentes que não saem do quarto !!!

Há dias que não consigo virar a cara e dou por mim a pensar...que sentido estamos nós a tomar?

 

O meu irmão não sai do quarto desde os...13 anos? Já tem 17 e a vida dele continua a ser comer no quarto, jogar, dormir, acordar, jogar...

 

Não sei que jogos são aqueles mas parece que estão mais miúdos (ou graúdos) a jogar online porque ele usa uns headphones com microfone para se comunicarem.

 

Posso-vos dizer que ele tem inclusive uma "marca" no cabelo por estar (+ de 5 horas?) com os headphones colocados diariamente.

 

É extremamente bom aluno e desde os 15 anos que definiu e disse lá em casa que queria ser programador.

Achei estranho pois até aos 13 anos sempre adorou pintar, representar, dançar.

Era sempre o melhor do grupo de teatro da escolinha, voz projectada, fazia-se ouvir até aos bancos de trás onde a irmã orgulhosa estava sentada.

Era sempre o que pedia aos pais para lhe comprarem aguarelhas e pincéis e telas para pintar na varanda.

Tinha um sentido de humor muito perspicaz para a sua tenra idade e riamo-nos muito juntos mesmo eu sendo 10 anos mais velha.

 

Para onde foi isto tudo parar? Onde está o meu irmão? Quem lhe sugou a alma?

 

Isto é um pouco cruel de dizer mas eu não vejo o brilho nos olhos dele que via antes...

Esta sempre no quarto, com os estores baixos, um calor infernal....já não quer ir ao cinema comigo ou fazer o que quer que seja. 

Muito menos à praia...

Ganhou uma doença de pele, não sei se por não apanhar sol anda cheio de manchas vermelhas no corpo...

 

Já para não falar da obesidade.

 

Quando falo com a minha mãe sobre isto ela diz-me "coitadinho..." e fica mesmo chateada se insistir em dizer-lhe que não devia permitir que ele tivesse tantas horas ao computador.

 

Por outro lado, deviam ter agido mais cedo.

Revoltada como mãe galinha que é costuma dizer-me "se ele é feliz assim deixa-o estar" ou "ele tem tempo de sair à noite".

Também eu me sinto revoltada por não ter acompanhado o crescimento dele.

Tive muitos anos fora de casa e de Portugal na fase mais importante do desenvolvimento dele e quando cheguei ele já estava assim....

 

Na minha cabeça são só duvidas, será que vai ser um adulto saudável, com historias para contar? Será que ele é feliz com a vida que tem?

Será que ele não pensa em ter uma namorada?

Eu com a idade dele já tinha aprontado e das boas.

Tinham de me prender com uma corda em casa porque eu queria era estar sempre na rua.

 

Ver o meu irmão tornar-se refém do seu computador fez-me pensar...

 

As tecnologias vieram supostamente para nos libertar. Deixamos de fazer muitas tarefas manuais que agora são automatizadas. 

Mas quem é que realmente usa quem? Não somos nós os refens da tecnologia?

 

Para onde caminha a próxima geração que tal como o meu irmão tem a sua adolescência, os anos mais felizes da sua vida, a ocorrer entre 4 paredes, em frente a um ecrã? 

 

No que nos estamos a tornar?

2 comentários

Comentar post