Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

15
Mai17

Minha amada

Passeando no caminho perdido

Sentei-me debaixo de um abrigo

A imaginar como era

Nem reparei distraído

Que ainda lá permanecia

O limoeiro erguido que sempre nos acolhera

Lembrei-me de como foram bons

Os momentos que tivemos

Naquelas tardes de Agosto

Fomos amantes, fomos loucos

Fomos o que quisemos

Ainda assim não fui feliz

O destino não quis que ficasses

E ainda pior te entregasses

A outro pobre coitado

Que também como eu

Se deixou levar ao céu

E acabou enfeitiçado

Por um feitiço que perdura

E que cuja cura

Ainda é um segredo bem guardado

Pergunto-me como estarás agora

Que já deves ser senhora

Quase tão velha como eu

Continuarás charmosa e bela

Como Julieta que eras

Terás achado o teu Romeu?

Ainda que por um instante pudesse

Querer julgar-te mal e acabada

O meu coração não me obedece

A minha cabeça não esquece

O quão nela foste amada.

 

By:Podenga