Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

31
Mai17

Homem que não se esforça a ponta 'dum corno

A semana passada uma amiga enviou-me uma publicação de uma ex-prostituta que dizia que as mulheres não deviam dar demais a um homem.

 

deixo aqui------http://www.fasdapsicanalise.com.br/conselhos-de-puta-velha/

 

Na altura não concordei muito com o texto porque achava que confundia um bocado a ideia de que não nos devemos apaixonar e entregar facilmente com  o ser agradável para o parceiro.

 

Acho que o universo fez questão de me demonstrar a diferença.

Ando a sair com um rapaz já há um mês.

 

Quando ele chegou, e depois de não nos vermos há 6 anos e de estarmos oficialmente crescidinhos quando ele me convida para jantar e marca o restaurante eu pensei: Uau, finalmente vamos ter um date romântico.

 

Não só não houve qualquer elegância em escolher o local (destoava de todas as pessoas que lá estavam porque fui overdressed) como além disso no final pediu para dividir a conta.

Na altura até nem fiz grande drama, no fundo éramos apenas 2 amigos que se estavam a reencontrar.

 

Passado um mês e depois de dormidas em minha casa, jantares na minha casa, cinemas na minha casa decidi dizer-lhe "acho que já  merecia um jantar romântico, daqueles em que me vais buscar a casa".

Não declarei que também iria pagar a conta, pois assumi que ele sabe.

Ele riu-se, disse ok e eu percebi que ele tinha percebido a ideia.

 

Ontem manda-me uma mensagem a perguntar se o nosso jantar podia ser sexta-feira.

E eu que estou completamente falida e numa de tentar perceber se finalmente ele iria ter uma atitude de cavalheirismo uma vez na vida disse-lhe que não tinha dinheiro para jantares.

Ao qual ele responde "Então queres ir ao cinema? Cinema em casa..."

 

Ora cinema em casa, significa cinema em minha casa, no meu sofá, comer a minha comida e nem sequer ligar a perguntar se eu quero que ele compre um vinho.

Estou sem tesão por este homem e com vontade de lhe dizer umas coisas na cara.

 

Depois do "cinema em casa" nem sequer lhe respondi.

Não quero um homem que me sustente, mas gosto de homens que se esforcem, que me dêem valor, que me ajudem e se preocupem comigo.

 

Se é só sexo, tudo bem. Mas só sexo não implica acampar na minha casa, comer a minha comida e deixar a minha casa desarrumada.

 

2 comentários

Comentar post