Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

20
Jul17

E tu, o que já sentiste hoje? (poema)

Senti sono ao acordar

Ainda me estava a espreguiçar

E já só pensava em deitar-me outra vez

Ando cansada da vida que trago

Aquela que escolhi no catálogo

Quando me vi obrigada a escolher.

 

Senti frustração e agonia

Por ter de ir contra vontade

Para o lugar onde a idade

Tem tendência a desaparecer

Senti que o que me pagam não cobre

Os gastos de uma vida que podia ser nobre

E que não é mais que sobreviver.

 

Senti ainda uma leve esperança

Que um dia me saia o Euromilhões

Para então realizar os meus sonhos prometidos

Aqueles que estão todos esquecidos

Desde que ando aos trambolhões.

 

Senti no fim que ando a contradizer-me

Ando a tentar esconder-me

De mim própria há muito tempo

Não preciso apenas de dinheiro

Esse já o tive e dispensei-o

Preciso de sentimento.

 

By: Podenga