Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

05
Ago16

Diário de uma mulher menstruada

Bom dia a todos desde o deserto.

 

Estou neste momento com a cabeça enfiada na areia para ver se consigo passar estes dias sem matar ninguém.

 

Era mesmo isto que me apetecia estar a fazer, mas não....não não não...estou num escritório, sentada, em frente a um computador, a sofrer contracções de 5 em 5 segundos como se estivesse a dar a luz em pleno open space.

 

Até o vento da ventoinha me faz frio. Quando a desligo faz calor. E o calor deixa-me muito irritada. E se estou irritada vou tratar mal alguém.

 

Sou uma menstruada inconformada, aliás já estou com náuseas só de ter mencionado esta palavra, normalmente não a escrevo toda, escrevo como se fosse um palavrão (uso o asterisco) e fica menstru*.

 

Odeio estar assim, nunca gostei, mas desde que deixei de tomar a pílula por razões éticas isto passou a ser mais complicado.

Sinto muitos sentimentos durante estes dias.

 

Passei a usar os tampões cotton care da marca Continente por serem biológicos, mas até isso já me irrita pois como são biológicos tenho de os trocar quase de hora em hora.

Ou seja, além de me sentir nojenta e ter dores e ter muitos sentimentos ainda tenho de me relembrar disso de hora em hora.

 

Então hoje, precisamente hoje, tivemos um problema com os esgotos, então estão entupidos.

Acho que o senhor até teve medo de acabar a frase "Não podem ir ao WC até a situação se resolver".

 

Só me apetece matar pessoas, contudo se falam mal para mim apetece-me chorar.

Sou um serial killer e um bébé ao mesmo tempo, tudo na mesma pessoa.

 

Ja mencionei o calor?

2 comentários

Comentar post