Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

06
Abr17

Desencarnados drogados

Quem disse que para se morrer

É preciso estar vivo

Se contigo

Vejo alguém

Que apesar de vivo tem

Atitudes de desencarnado?

Divago

E penso

Consegues sentir o cheiro a podre

Que fica à passagem da tua pessoa?

Que se entranha e enjoa

Quem vê com os olhos da alma

E não com os da cara

Que não servem senão para agradar à superfície

E curar a ferida externa

Que sem ser eterna

Serve para acalmar

Os egos viciados

Dos desencarnados drogados

Que insistem em continuar

A apostar no impuro sem futuro

Um buraco escuro

Sem volta a dar

A insistir naquilo que os torna vulneráveis

Falsos, perigosos e frágeis

Não aprendem a controlar

As vontades impulsivas

De quem está em jejum espiritual

Que segue evoluindo na horizontal

Pois não consegue ver além

Do seu próprio umbigo

E prefere ser mal resolvido

A lutar para ser alguém.

 

By: Podenga