Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Podenga Portuguesa

Mulher dramática, pensativa, inquieta, feliz e infeliz. Que carrega o peso do mundo nas costas. Que é filha da mãe natureza. Acredita no amor, na empatia, na verdade, na hipótese.

A Podenga Portuguesa

21
Mar17

Conselho de um velho amigo

Olho para ti e penso

Onde estará a geração que nos separa?

Não querendo ser mal interpretado sei ver

Que essa ternura que mostras ter

Já não é assim tão inocente

 

Não franzas o sobrolho

Que eu sei do que falo

Não estou a cantar de galo

É conselho de amigo apenas

 

Porque apesar de ser mais velho

Ainda me lembro como é ser

Jovem inconsequente sem saber

Que um dia tudo vai ter fim

 

Se me permites introduzir a esta conversa "secante"

De um cota insignificante

Uma observação de ti

Deixa-me dizer-te querida amiga

Vejo-te mal encaminhada

A valorizar de forma errada

As coisas importantes da vida.

Lembra-te

Que o teu corpo não é um museu

O teu coração não é só teu

Todos sofrem ao ver-te perdida.

 

Para não falar das prioridades

Roupas, saídas e rapazes

Que usam e abusam de ti!

Sem saberem da tua vontade

De amar e ser amada

Ter uma história encantada

Com um príncipe de verdade.

 

Não te condeno pelo sexo

Não sou tão pudico assim

Refiro-me à forma rápida como deixas

Que cheguem até ti 

Onde anda a sedução?

Já não falo em andarem de mão dada

Mas alguma dificuldade tem de haver!

Que os ajude a perceber

Como mereces ser tratada

Não usada e descartada

Como queres fazer crer

 

Mas que te importa esta conversa agora?

O tempo para ti chega e sobra

Ainda tudo é tão banal..

Mas depois sofres e aqui estás tu

Com o amigo habitual

A ressuscitar os conselhos do passado

Para ti desactualizado

Mas para mim....intemporal.

 

 By: Podenga